Yashica, crescimento e queda

A história da Yashica

Fundada em 1949 com apenas $ 566,00, em Nagano – Japão com o nome de Yashima.

Em 1957 criou uma subsidiária em Nova York chamada Yashima Yashica Inc juntamente com a Tomioka Ópticos, para gerenciar os esforços de marketing nos EUA. No mesmo ano lançou uma série de câmeras populares, TLR, de nome Matic Yashica. Uma câmera que usava filme 8mm.

Em 1958 mudou seu nome para Yashica Company Ltd quando comprou a empresa Câmera Nicca Ltd.

1959 foi o ano onde a Yashica lançou sua 35mm Silgle Lens Reflex (SLR), uma câmera com a diafragma automático.

Vamos pular para 1973 pois os anos que antecederam esse período só tiveram sucessos.

Bom, neste ano, a Yashica inicia uma parceria com a Carl Zeiss em um projeto chamado de Top Secret 130 para produzir uma nova 35mm SLR com obturador eletrônico que teve seu nome batizado de Contax.

Uma nova linha de câmeras é lançada, agora com o nome Yashica/Contax, projetadas com lentes Carl Zeiss.

Em 1977 a Yashica começa a fazer frente as marcas Nikon, Canon e Minolta com seus modelos FR para um mercado de câmeras semi-profissionais SLR.

Agora chegamos em 1979, quando a Yashica lança seu modelo FX3-Super. Uma câmera 35mm SLR mais barata para atingir ao público iniciante. Um modelo com foco manual, corpo Yashica que também aceitava as lentes Carl Zeiss. Um modelo que segui até 2002.

Em 1983 a Yashica foi comprada pela Kyocera, uma empresa gigante no segmento de cerâmica. Depois da venda, todas as câmeras foram comercializadas pela Kyocera.

Em 1985, a empresa estava enfrentando intensa concorrência no mercado de outros fabricantes, especialmente Minolta, que havia introduzido um preço competitivo com um modelo avançado de câmera de 35mm SLR autofoco. A Yashica finalmente lançou sua própria linha de autofocu 35 milímetros  que foi superfaturada e mal comercializada em comparação com a concorrência.

Em 2005 a Kyocera suspendeu a produção das Contax e Yashica e em 2008 vendeu os direitos para o grupo MF Jebsen Group, sediado em Hong Kong.

Este passou os direitos de uso para sua subsidiária JNC Datum Tech e desde então não ouvimos mais falar da Yashica por aqui a não ser dos apaixonados pela marca e querem reviver os velhos tempos. O que é o meu caso.

Abaixo estou colocando algumas fotos divididas em 2 saídas. Uma PB com filme Kodak Professional BW 400 CN e a outra com filme Kodacolor 400 ASAS

Em quase 2 anos na fotografia, foram meus primeiros cliques com uma câmera analógica e trabalhando com foco manual em STREET

Em breve farei um vídeo STREETPHOTO em Pauta mostrando mais sobre a minha Yahica FX3 Super – 2000 com lente 50mm 1.9

Espero que gostem.

4 thoughts on “Yashica, crescimento e queda

  • Caracaaa!! eu comprei a minha fx3 no final do ano passado e esse mes que eu fui comprar o filme pra ela.. mas nao tenho ideia de como bater fotos com ela.. alguem sabe de algum tutorial que ensina?
    Eu tenho uma canon sx40 sei usa o modo manual dela, mas nao entendo nada dessa fx30.. tenho medo de mexer em algo que nao pode.. rsrsrs
    muito fera o post!!

    • Você pode fazer 3 coisas:
      1. No Youtube não tem algo que te ensine a tirar fotos com ela mas tem vídeos que te ensinam a colocar filme.
      2. Você pode procurar alguns fotógrafos que dêem cursos particulares e que mexam com máquinas mecânicas.
      3. Colocar o filme e ir testando cada foto anotando abertura, velocidade em cima da ASA do seu filme e ai descobrir na prática como ela trabalha.

      Na semana que vem eu terei um novo vídeo do STREETPHOTO em Pauta onde farei uma saída fotográfica com ela. No vídeo irei falar um pouco sobre as funções da Yashica FX3 super 2000. Talvez possa lhe ajudar.

      • ahh vou ver esse video com certeza!!!
        logo mais farei um curso de fotografia com um professor que tem uma pentax parecida com a yashica, vou pedir algumas dicas pra ele quando o curso começar..
        Obrigada pela ajuda!!

  • Minha mãe me mandou uma dessas dos EUA em 1990 quando eu tinha 16 anos, foi paixão a primeira vista. Mas a minha era FX3-2000, não sei se era igual a sua… Bela matéria, me deu até nostaugia! Abs.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code