Fotografia de Splash! O Básico

Primeiramente gostaria de agradecer ao apoio da equipe do Câmera Mais, pois sem o incentivo que estão me dando eu não teria coragem de postar aqui, no meio de tantos artigos excelentes e de níveis muito superiores! Sou apenas um iniciante, tentando passar o que sei para outros iniciantes!

No artigo de hoje vou falar um pouco sobre o “Splash” algo que comecei cedo a me interessar, e como disse no inicio, ainda sou iniciante na fotografia, faço apenas por diversão, então este artigo é voltado para pessoas que também estão começando, será um artigo básico, mas com muito carinho!

3 Dicas básicas:

– Fotografe sempre em RAW

Pode não ser uma regra, porém fotografias de splash quase nunca vão sair perfeitas já na hora do clique, sempre terá respingos de água em lugares indevidos, o fundo pode não ficar como você deseja e outras coisinhas. Eu particularmente gosto de editar TODAS as minhas fotos, é uma opção particular. Muitas pessoas acham que a foto deve sair pronta da câmera, mas eu penso diferente e exatamente por este motivo fotografo em RAW, pois me da uma liberdade muito maior para retocar/editar uma foto.

– É a potência do flash quem mais interfere no “congelamento” da imagem, e não a velocidade do obturador!

Parece estranho mas é verdade, uma velocidade do obturador a 1/60 com potência do flash a 1/25 vai “congelar” mais a imagem do que uma velocidade 1/200 com o flash na potência total. Isso acontece porque o tempo de “ação” do flash será muito menor a 1/25 de potência, é muito rápido, e isso que fará a imagem congelar. É óbvio que isso depende de muitos fatores, e o principal deles é a luz ambiente, se for um ambiente com muita luz, a velocidade do obturador vai interferir bastante na fotografia, eu costumo fotografar sempre em ambientes com pouca ou nenhuma luz, gosto de criar a iluminação somente com meu flash e acessórios.
Lembrado que para velocidades mais baixas, é sempre necessário o uso de um tripé, mesmo com o uso do flash (apesar de que é meio difícil praticar splash sem um tripé).

– Tenha sempre alguns itens básicos por perto.

Como estamos lidando com água (neste caso) devemos tomar todo o cuidado possível, pois água e equipamentos elétricos não fazem uma boa combinação. Tenha sempre por perto um pano, de preferência bem limpo, pois nunca se sabe o que pode acontecer e é melhor estar preparado. Outra coisa que pode ser feito é cobrir o flash com algum plástico transparente para evitar acidentes maiores, eu particularmente não faço isso, mas recomendo que façam.

 

A fotografia de splash é simples e ao mesmo tempo complexa. É simples porque tudo pode virar o assunto a ser fotografado; uma fruta, legume, um doce, enfim, tudo fica interessante quando se jogado dentro da água. A imagem causa interesse nas pessoas, pois normalmente as pessoas não estão acostumadas a ver esses “objetos” misturados com a água. O céu é o limite!
É complexa, pois depende de alguns itens que, para quem está começando na fotografia, é complicado de obter, como um flash, rebatedor, tripé, disparador, etc… Mas isso não quer dizer que sem estes itens não seja possível criar um excelente splash, para isso que existem as “gambiarras” !!!

Abaixo, para sair um pouco da teoria, vou descrever com detalhes um passo-a-passo de um “setup” que preparei especialmente para este post.

As fotos estão de baixa qualidade, pois usei o celular para fazer as mesmas. Espero que ajude a esclarecer como tudo é feito, e lembrando que nada postado aqui é uma regra que deve ser  seguida ao pé da letra. Na fotografia tudo é variável, cada um tem um gosto, um olhar diferente, equipamentos diferentes, use como base e crie suas próprias fotografias/ iluminações!

Equipamentos e itens utilizados:

– Aquário de 40 x 15 x 20cm

– Rebatedor Prateado de 60cm

Camêra Nikon D7000

Lente Nikkor 50mm 1.8D

Flash Nikon SB-910

– Disparador sem fio Yongnuo

– Rodinho de pia, para limpar o aquário

– Pano seco e limpo.

– Parede preta para o fundo.

 

 Alguns itens alternativos:

– Aquário de qualquer tamanho

– Placa de isopor como rebatedor

– TNT ou qualquer tecido preto para o fundo

– Lanternas ou luz continua para iluminação (Neste caso as configurações da câmera serão totalmente diferentes das que as mostradas aqui)

 

Primeiramente encho o aquário com mais ou menos 2/3 de água, pois tem que ter agua o suficiente para o objeto ficar dentro, e acima o espaço onde o splash ficará, também se consegue ótimos resultados com o aquário totalmente cheio, porém a bagunça é enorme!!!

Coloco o aquário em seu devido lugar, no meu caso sempre uso uma mesa ou um balcão… Gosto de deixar a água descançando por alguns minutos, assim fará com que possíveis sujeiras, ou bolhas se acomodem e não interfiram muito na fotografia.

Após feito isso, posiciono a câmera no tripé já no local fixo onde será usada, faço o enquadramento que mais me agrada, lembrando sempre de deixar um espaço acima da água para o “splash” não me preocupo muito em estar aparecendo as bordas do aquário, pois retiro isso no crop posteriormente, assim me da um ângulo maior.

Agora é a hora de focar! Nada de deixar o foco no automático… isso seria praticamente impossível…  Eu particularmente faço o seguinte: Com a câmera e aquário já em locais fixos, pego uma garrafa de vidro com água e coloco dentro do aquário posicionada bem no meio dele… (onde eu vou ter que jogar o item a ser fotografado posteriormente) coloco a abertura da lente em 1.8 (para ficar bem claro) e ligo o live view, dou o máximo de zoom digital que eu puder, e faço a focagem manualmente bem precisa. Mas isso é o que eu faço, se tiverem outras idéias fiquem à vontade!

 

Após isso, desligo o live view, e volto às configurações que pretendo usar.

Gosto de utilizar aberturas bem pequenas, f16, f22, etc… pois me dão uma margem de foco um pouco maior, e isso ajuda muito caso você não jogue o objeto exatamente na marca onde fez a focagem anteriormente.

Feito a focagem, posiciono o Flash no local desejado, na maioria das fotografias de splash que faço em aquários uso sempre lateralmente o flash e no outro lado uso um rebatedor prateado… com mais fontes de luz poderá mudar este esquema.

Abaixo uma imagem mostrando mais ou menos como fica o flash e o rebatedor…

Pronto, agora é só retirar a garrafa que foi usado para fazer a focagem, escolher as configurações (abertura/velocidade) que mais lhe agradam, e começar os disparos! Pode ser necessário bastante disparos até conseguir uma boa imagem… Caso não possua um disparador, para você mesmo jogar o objeto e disparar a câmera, peça para alguem que jogue pra você enquanto você dispara… É bom lembrar de sempre passar o “rodinho” por dentro e por fora do aquário, para sair as bolhas e pingos, que ficam grudadas no vidro, a cada 2 ou 3 tentativas pelo menos… elas atrapalham um pouco o resultado final.

Agora abaixo, vou postar algumas fotos que consegui usando o esquema com aquário igual ao relatado no post:

 

Esta abaixo foi feita com as mesas configurações, porém em vez de algum objeto utilizei tinta e óleo de cozinha)

 

Espero que o post tenha ficado esclarecedor, mas caso tenham qualquer dúvida basta postar nos comentários que sempre que possível estarei acompanhando para responder!

Mais uma vez, muito obrigado Câmera Mais e a todos que estão acompanhando o Blog!

Um forte abraço!!!

 

5 thoughts on “Fotografia de Splash! O Básico

    • Muito obrigado Raphael!!
      Não utilizei radio flash não, o flash foi disparado remotamente pelo flash pop-up da câmera… vários modelos de câmera possuem esta função… no meu caso usei uma Nikon D7000 com um flash Nikon SB-910,.
      Se tiver outras dúvidas basta postar! Forte abraço!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code